Estudo Sobre a Mortalidade em UTI Neonatal de um Hospital Escola no Sul de Minas/Study of Mortality in a Neonatal Intensive Care Unit of a Teaching Hospital in Southern Minas

Talita de Faria Bustamante, Thamires de Almeida Gonçalves, Gislene Ferreira, Adriene Gomes de Moraes

Resumo


Objetivos: Conhecer as causas e variáveis maternas, do recém-nascido e da própria unidade, relacionadas com a mortalidade da UTI Neonatal do Hospital Escola de Itajubá – MG, entre maio de 2012 a outubro de 2013. Métodos: Estudo descritivo envolvendo 68 recém-nascidos acompanhados até desfecho clínico. Foram analisadas variáveis maternas, da gestação, parto e recém-nascido. Foi utilizado o teste Qui-quadrado para relacionar estas variáveis com a taxa de mortalidade. Resultados: Ocorreram 12 óbitos, com uma taxa de mortalidade de 17,6%. Observou-se relevância apenas nas variáveis relacionadas à Idade Gestacional, baixo peso ao nascer, diagnóstico a internação, Apgar no 1o minuto e escore CRIB II. A mortalidade dos recém-nascidos com peso < 1000g foi de 50%. Os recém-nascidos prematuros com Idade Gestacional <31 semanas foram reesposáveis por 47,6% dos óbitos, sendo a prematuridade o principal diagnóstico à internação, e todos os óbitos estarem a ela relacionados. Conclusão: As principais variáveis associadas à mortalidade neonatal foram a idade gestacional e o baixo peso ao nascer. Além destas, incluíram-se outros fatores de risco como o Apgar no 1o minuto, o escore CRIB II e o diagnóstico principal. Originando um desafio, que precisa ser enfrentado por obstetras, neonatologistas e o poder público.

 Palavras-chave: UTI neonatal, mortalidade neonatal, prematuridade.

 

ABSTRACT

Objectives: To know the causes and variables of the mother, the newborn and the unit, related to the mortality of the Neonatal ICU from the teaching hospital in Itajubá – MG, between May 2012 and October 2013. Methods: A descriptive study involving 68 newborns followed up until clinical outcome. Variables of the mother and newborn, as well as pregnancy and childbirth were analyzed. Chi-square test was used to correlate these variables with mortality. Results: 12 deaths occurred, with a mortality rate of 17,6%. There were relevance on the variables related to gestational age, low birth weight, admission diagnosis, Apgar at 1st minute and CRIB II score. The mortality of the newborns weighing <1000g was 50%. Preterm newborns with gestational age <31 weeks were responsible for 47,6% of deaths, being prematurity the principal diagnosis on admission and all deaths related to it. Conclusion: The main variables associated with neonatal mortality were gestational age and low birth weight. Besides these, were included risk factors such as Apgar score at 1st minute, CRIB II score and primary diagnosis. Originating a challenge, that must be faced by obstetricians, neonatologists and public authorities.

 Keywords: neonatal ICU, neonatal mortality, prematurity. 

 


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21876/rcsfmit.v4i2.231

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2014 Revista Ciências em Saúde